APLICATIVO GÊNIO DAS FINANÇAS

EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA PALMA DA MÃO

PORTAL DO MARKETING

SUPORTE COMPLETO PARA UMA MELHOR COMUNICAÇÃO

E-BOOKS GÊNIO DAS FINANÇAS

EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA PALMA DA MÃO

Educação financeira para crianças: qual a importância?Tempo de leitura estimado: 6 min.

18 março 2022

Educador

O aumento no número de pessoas com dívidas e afetadas emocionalmente por causa das finanças mostra cada vez mais a necessidade da educação financeira para crianças, para que aprendam, desde a infância, a importância de saber lidar com recursos como dinheiro. 

Essa necessidade é tão latente que chamou a atenção até mesmo do Ministério da Educação, que em 2020 incluiu a educação financeira nos temas da BNCC (Base Nacional Comum Curricular). 

Mas qual é o impacto da educação financeira para crianças? Como sua escola pode abordar esse assunto em sala de aula? Como as crianças entendem o dinheiro? Continue a leitura para entender mais sobre o assunto! 

O que é educação financeira?

De acordo com a ENEF (Estratégias Nacional de Educação Financeira), a educação financeira é um processo em que as pessoas melhoram a sua compreensão em relação ao dinheiro, se mantendo bem-informadas em questões econômicas do país e do mundo e realizando compras conscientes, com escolhas bem fundamentadas. 

Mas é claro que as crianças ainda não são aptas a tomarem decisões com base em questões econômicas no país e no mundo.  

É por isso que a educação financeira para crianças acontece na escola por meio da informação, formação e orientação, para que elas possam desenvolver os valores e as competências necessárias para se tornarem mais conscientes das oportunidades e riscos nelas envolvidos. 

Assim, elas terão as habilidades necessárias para fazer escolhas bem informadas, saber onde procurar ajuda e adotar ações que melhorem seu bem-estar quando adultas. 

Isso significa que, no dia a dia, conceitos como juros, inflação, aplicações financeiras, rentabilidade, investimentos e impostos devem ser abordados em sala de aula. Mas o ensino vai além, ajudando as crianças a desenvolverem comportamentos saudáveis relacionados às finanças.  

Assim, eles poderão tomar decisões mais conscientes e responsáveis desde cedo. 

Qual a importância da educação financeira para crianças? 

Já estabelecemos que a educação financeira é uma ferramenta valiosa para os futuros adultos. Mas reunimos alguns dados que comprovarão a importância desse conhecimento aos jovens. 

Vamos começar pelos 40% da população adulta que está endividada, segundo o Serasa Experian. São mais de 60 milhões de pessoas, que acumularam uma dívida média de R$ 3,9 mil por pessoa. 

E os jovens adultos são parte significativa desse número, já que 45% das pessoas entre 18 e 24 anos afirmaram à Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF Brasil) que não sabem como administrar suas finanças

Essa realidade está cada vez mais próxima dos estudantes. De acordo com a OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), 50% dos brasileiros de 15 anos afirmaram não saber como lidar com dinheiro. 

Ainda segundo a OCDE, 53% dos estudantes brasileiros não atingiram o nível mínimo de conhecimentos financeiros em teste de cultura financeira realizado pelo Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA). 

Como as crianças enxergam o dinheiro? 

“Mas como abordar o dinheiro na sala de aula?” 

O primeiro passo para definir um plano eficiente é compreender a visão dos jovens sobre esse assunto. Entenda, abaixo, como cada faixa etária enxerga o dinheiro. 

Crianças até 5 anos 

Na primeira infância, as crianças começam a entender o que é dinheiro e como ele é ganho. Por eles ainda não entenderem contas, valores e quantidade, o contato ainda deve ser esporádico. 

Na sala de aula, um exercício interessante pode ser a montagem de uma lojinha em que todos ganham um “dinheiro” e devem trocá-lo pelo produto que escolherem.  

Crianças de 6 a 11 anos 

A partir dos 6 anos, os alunos já tem uma base sobre o que é dinheiro e podem ter uma maior compreensão sobre o assunto. É aqui que o cofrinho entra em ação, mostrando a importância de economizar para o futuro. 

A montagem de cofrinhos, inclusive, é uma ótima tática para levar o assunto para a sala de aula de uma maneira leve e divertida. 

Os pais também podem ser convidados a participar desse ensino com a implementação de uma mesada. Mesmo que seja apenas uma moedinha de R$ 0,10 colocada a cada duas semanas no cofrinho feito pela criança, ela terá uma experiência divertida que lhe mostra como pensar no dinheiro no presente e no futuro. 

Adolescentes 

Dos 12 anos em diante, o adolescente já está pronto para ganhar mais responsabilidades, como um aumento na mesada para comprar lanches na escola e investir em passatempos que lhes interessam. 

Já na sala de aula, assuntos como a importância de economizar para alcançar metas e os perigos do consumismo são apenas alguns dos vários tópicos a serem tratados com ainda mais frequência.  

Aulas focadas em termos como juros, impostos e taxas também são relevantes para garantir a formação de adultos conscientes e focados. 

Leia também: Como as escolas podem incentivar o empreendedorismo nos alunos? 

Quais os benefícios de implementar a educação financeira nas escolas? 

A verdade é que a educação financeira para crianças e adolescentes só lhes trará benefícios. Mas, de maneira resumida, podemos afirmar que esse aprendizado ajudará a: 

  • Identificar Armadilhas Psicológicas Financeiras; 
  • Resolver problemas com pensamento crítico; 
  • Tomar decisões conscientes e saudáveis, baseadas na mudança de atitude; 
  • Consumir e poupar de modo ético, consciente e responsável; 
  • Planejar em curto, médio e longo prazo; 
  • Distinguir desejos de necessidades; 
  • Desenvolver a cultura da prevenção; 
  • Ter postura criativa e empreendedora. 

E é claro que as escolas também poderão colher frutos desse valioso investimento, como levar a educação financeira para toda a equipe escolar. Com o acesso a esse assunto, é possível que todos consigam melhorar os próprios planejamentos financeiros. 

Sem contar que investir em um programa educacional de qualidade pode se tornar um enorme diferencial na época de matrículas escolares. Ou seja, todos ganham com a educação financeira

Como levar a educação financeira para a sua escola? 

Para oferecer uma educação financeira de qualidade aos estudantes, a melhor alternativa é investir em um programa educacional que trabalha todos os conceitos de forma compreensiva, de acordo com a faixa etária e linguagem dos estudantes. E o Gênio das Finanças pode lhe ajudar com isso! 

Constituído com base nos eixos Educação, Economia e Psicologia, o Gênio das Finanças propõe uma mudança de perspectiva, consolidando o viés comportamental da aprendizagem em um conteúdo que é totalmente aplicável à realidade dos estudantes. 

O alcance do Programa é amplo, envolvendo escolas, alunos, professores e famílias, a fim de impactar significativamente o comportamento financeiro de todos. Ou seja, com o Gênio das Finanças você oferece o que crianças e adolescentes precisam saber para ajudar a formar uma sociedade mais consciente e financeiramente saudável. 

Quer saber também como levar a educação financeira para sua vida? Veja o que são as armadilhas psicológicas financeiras e entenda como evitá-las! 

POSTS MAIS LIDOS

CATEGORIAS

Inscreva-se em nossa Newsletter